Os canudos de inox vão salvar o mundo?

Diminuir a quantidade de lixo que produzimos vem se popularizando cada vez mais. Um dos itens mais citados atualmente para evitar o lixo descartável é o canudo reutilizável. Em alguns estados como Rio de Janeiro e São Paulo já existem leis de proibição do canudo plástico e muitas empresas surgiram com alternativas para esses canudos. A Bee Green e a Mentah são exemplos que podemos citar, mas grandes corporações como a Tramontina também aderiram à produção desses canudos. Até produtos importados da China já são encontrados, nos mais diversos formatos, cores, espessuras e valores.

Essa é uma das características que podemos observar no capitalismo. É comum ver esse tipo de modus operandi no sistema econômico que nós vivemos. Ele está sempre pronto para suprir uma “necessidade” que surge. Não é de hoje que o grande monstro da atualidade transforma ativismo em bens de consumo, o que torna tudo mais perigoso – principalmente quando entendemos que foi a produção desenfreada de bens e o consumo desmedido do que é produzido que criou todo o caos que estamos vivenciando agora – e que tende a piorar, caso a gente não faça mudanças urgentes.

Quando falamos de consumo, vemos que a sociedade atual se acomodou com a ideia de que comprar é a solução mais fácil para qualquer problema: Compre orgânico, compre sustentável, compre mais verde ou compre qualquer coisa. O consumo atinge não somente o campo da necessidades físicas (vestir o corpo, comer, higiene), mas também necessidades emocionais – compramos quando estamos tristes, animados, ansiosos ou com desejo de mudança. O desejo de mudar algo – mesmo quando se trata de gerar menos impacto no planeta – também é perigoso. A proposta de diminuir esses danos também é sobre consumir melhor, mas é muito mais sobre consumir menos. E isso implica repensar também o que estamos comprando para mudar o mundo (e de quem estamos comprando também).

+ + + Leia também: Por que a roupa mais sustentável é a que já existe?

Esses dias, escutei uma pessoa dizer que “alguns revolucionários acham que vão salvar o mundo com canudo de inox” e essa frase me fez refletir profundamente. Talvez nós estejamos mesmo precisando urgentemente de uma reforma no nosso modelo econômico – ele é insustentável sim. Mas acredito que precisamos também encarar os nossos hábitos. Repensar o nosso consumo. Aplicar a mudança no nosso dia a dia. Usar canudo de inox, recusar descartáveis, mudar os produtos que usamos, consumir conscientemente: Tudo isso é sobre auto responsabilidade.

canudos-de-inox
Imagem: Bruna Aureliano

Quando nos responsabilizamos pelas nossas próprias ações, nós entendemos quais dessas ações gerarão impactos negativos e assim aplicamos uma mudança prática. Uma mudança que esteja ao nosso alcance (financeiro, psicológico…). Aprendemos a fazer escolhas assertivas e quais empresas financiaremos através do nosso consumo. A ideia é mudar o micro para auxiliar na mudança do macro, já que a sustentabilidade passa por pilares sociais, políticos e ambientais.

Os canudos de inox não vão salvar o planeta – ainda mais se eles são fabricados por empresas duvidosas ou se eles ficarão encostados na sua despensa sem serem utilizados. Mas uma mudança de consciência, de hábitos, de nos responsabilizarmos pelo nosso impacto e de cobrarmos mudanças de quem controla o capital vai.

Imagem da capa: Bruna Aureliano

Author: Equipe Boneca de Platina

Esse post foi escrito pela equipe do Boneca de Platina. Aqui a gente une as ideias mais mirabolantes com assuntos que precisam ser discutidos com o mundo - claro, tudo baseado no que acreditamos! Compartilhar e inspirar tornam as coisas mais legais e incríveis. ♥

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.