Por que a roupa mais sustentável é a que já existe?

Desde o seu início, a moda tem sido um importante mecanismo de comunicação dentro da sociedade. Através dela, signos, símbolos e conceitos são emitidos. A moda é capaz, através do vestuário, de transmitir nossa personalidade, criar grupos, gerar identificação e também individualidades.

Enquanto indústria, a moda utiliza muitos recursos: naturais e humanos. Água para irrigação de algodão, tingimentos de tecido; químicos para determinados processos da tecelagem; terra para a plantação de fibras naturais; adubo pra essa terra; agrotóxico para o cuidado dessas lavouras; criação de gado para couro; e extração de petróleo para a produção de fibras sintéticas (como o poliéster).

Segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT), só no Brasil a moda ocupa o segundo lugar no setor da indústria de transformação que mais emprega. Desses empregos, 75% são ocupados por mulheres.

+ + + Leia mais: Conheça os 4 impactos da indústria têxtil

Apesar disso, já falamos aqui no blog sobre os impactos da indústria têxtil e como esses impactos são negativos, tanto socialmente quanto ambientalmente. A demanda de produção da moda atual tem um volume altíssimo e, quase que por osmose,  incentiva o consumo exagerado. Ainda de acordo com a ABIT, só em 2017, foram produzidas 6,7 bilhões de peças (apenas em território nacional) e a produção global de roupas mais do que dobrou desde 2000. Será que podemos supor que existe mais roupas do que pessoas no mundo?

roupa mais sustentável

+ + + Leia mais: 9 dicas para ter um guarda roupa mais sustentável

Quando falamos da importância de valorizar o que já existe, isso pode se aplicar à roupas também. Consumir o que já existe é uma ótima alternativa. Comprar algo novo quer dizer incentivar ainda mais uma produção que já é exagerada. Quando compramos uma roupa usada, prolongamos o ciclo de vida dessa peça. Essa peça já utilizou todos os recursos que citamos e pode continuar circulando pelo mundo.

Consertar peças que já temos, customizar, comprar em brechó, trocar roupas com as migas; tudo isso são ações de consumo consciente. Nesse processo, também valorizamos tudo que vem junto com essas peças: os recursos da nossa Natureza e tantas vidas que se constituem por meio do trabalho com a moda.

Author: Bruna Aureliano

Designer e criadora de conteúdo sobre estilo de vida consciente. Acredita que, para gerar transformações, é preciso compartilhar conhecimento. Vegetariana, adepta do minimalismo e canceriana com ascendente em aquário. Metade dela é sensibilidade e a outra é rebeldia.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.