TAG: 15 coisas legais que aconteceram em 2015

15-coisas

O final de ano já está aí e, não que eu ainda não espere que 2015 possa me reservar mais alguma coisa nos próximos 10 dias, resolvi responder a tag criada pela Bruna Vieira. O desafio é selecionar as 15 coisas mais legais que aconteceram com você e levar para seu blog ou vlog. Obviamente, eu trouxe pra cá porque, confesso, 2015 foi um ano bem produtivo e de grandes mudanças.

1. Troquei o layout do blog

Desde que criei o blog, desejava deixar ele o mais parecido comigo. Queria que as pessoas pudessem entrar aqui e sentirem como se estivessem entrando no meu quarto, vendo tudo o que eu amo e tudo o mais. Ilustrei as coisas fofinhas ali do topo, contei com a ajuda da Dani que e voilá.

2. Fiz novos amigos!

Eu sempre fui muito introvertida, então a ideia de ter de interagir com pessoas e criar diálogos sempre me deixou em pânico. Percebi que esse foi o ano em que eu mais conheci gente legal. Entrei no estágio, me apeguei a muitas pessoas, fiz grandes amizades e me dei conta do quanto isso foi importante para o meu crescimento.

3. Entrei em processo de desconstrução e aprendi muito sobre o feminismo

Cresci ouvindo essa palavra sem saber exatamente o significado dela. Meu ex uma vez tinha me dito: “Você é feminista!” como uma afronta e eu, ainda sem entender muito bem, confirmei. Esse ano eu me dediquei a estudar sobre o assunto. Vi que muitas coisas que eu acreditava faziam sentido ali. Comecei a seguir pessoas incríveis que me ajudam no processo de desconstrução e eu sou grata por isso. Quando eu digo que sou feminista hoje, sei o que estou falando. Acredito no que eu sou.

4. Viajei com a minha mãe

No meio do ano, minha mãe me presenteou com uma pequena viagem à praia. Passamos um final de semana num resort incrível e eu pude descansar bastante nos – pouquíssimos! – dias de férias que eu tive. Inclusive, postei várias coisas sobre a viagem por aqui.

5. Recebi convites especiais

Desfilei de noiva para o Rosa Bonita, publiquei um artigo em um congresso, me chamaram pra apresentar um programa… Algumas experiências foram muito boas, outras acabaram não dando certo. O mais legal de tudo isso é que eu aprendi pra caramba e isso me fortaleceu muito como pessoa.

6. Decidi deixar meu cabelo crescer

Nova fase, nova vida, novos sonhos e perspectivas. Isso me pediu algo diferente na minha aparência e eu decidi que tinha chegado a hora de sair do pixie hair. Foi difícil, demorou um pouquinho, mas eu ainda estou por aqui. Desta vez, decidi por mim mesma e sei que, quando me olho no espelho, continuo sendo eu mesma. Um pouco mais madura, com mais experiência quando se trata de tomar decisões e ser eu mesma.

7. Criei uma rotina de trabalho

Veio depois que montei meu desktop. Percebi que o meu tempo só podia ser otimizado quando eu aprendesse que há hora certa pra tudo e que, organizando as coisas direitinho, a gente consegue finalizar os trabalhos a tempo. Isso foi necessário porque as obrigações da faculdade aumentaram e abrir mão do blog não estava nos meus planos.

8. Aprendi a cozinhar

Depois de ouvir uma crítica desagradável de uma colega, quando ela disse que eu não fritava nem ovo, eu decidi provar pra mim mesma que não ia ser assim. “Aponta o dedo de novo pra mim e eu vou te mostrar o que sei fazer!”. As vezes, eu sou dessas. Fiz uma busca completa na internet de algumas receitas e hoje sei fazer coisas que até minha mãe já aprovou. 2016 vai ser o ano dos doces, vamo que vamo.

15-coisas-1

9. Escutei música boa

Me vi completamente apaixonada por algumas cantoras e dei o braço a torcer por outras. Faz parte, né? Acho que esse tópico deveria se chamar ‘rompi meus preconceitos musicais’, mas a gente entende como quiser. Avante!

10. Conheci alguém especial

Eu achei que 2015 ia se tratar só de trabalho. Que todas as coisas boas que consegui seriam profissionais e que todos os casos bobos que tive só me renderiam experiências para crônicas. Mas não. Não foi. “Me deixa cuidar de você!”, ele disse. E entre o mundo de diferença que temos, nos encontramos. Eu resolvi ficar e ele também.

11. Terminei as seis temporadas de Sexy and the City rapidinho

Que série incrível, podem me julgar! A cada episódio, mais eu me sentia como Carrie. COMO SOMOS PARECIDAS!!1! Nos dramas, nos questionamentos, nas manias. Deus me livre. Cheguei a conclusão também de que quero ser a melhor amiga de Samantha Jones. Amadureci minhas ideias sobre liberdade sexual depois dela!

12. Aprendi a ser mais positiva

“Não importa, vai dar certo!” foi a frase que eu mais repeti, principalmente nos momentos de imprevisto. Sempre fui muito insegura, então percebi que sendo mais positiva, as coisas tinham maiores chances de dar certo. A gente pode levar em consideração também que a maneira como pensamos pensa muda tudo. Questões energética que eu acho que ainda vai ser falado muito por aqui.

13. Me dediquei mais a escrita

Não é segredo, eu amo escrever. Escrevo sobre quase tudo, inclusive. Só que eu me dei conta de que eu amo mais ainda poder compartilhar as coisas que eu sinto. Resolvi então reverter cada dorzinha no meu peito em um texto. Nem todos consegui publicar, mas sei que a prática da escrita me ajudou muito esse ano. Equilíbrio é tudo na vida de uma pessoa.

14. Conheci uma série maravilhosa

SENSE8 PAROU A MINHA VIDA! Durante uma semana, eu deixei de viver e virei escrava do Netflix – olha eu abusando da hipérbole. Achei que estava conectada com alguma pessoa ao redor do mundo, cantei toda a trilha sonora junto com outros amigos viciados e estou esperando a 2° temporada ansiosamente.

15. Aprendi que cebola não é tão ruim

Junto com os meus aprendizados culinários, percebi que cebola ainda é um dos melhores temperos, principalmente na hora de fazer molho parisiense. Meu truque é fazer ela parecer que não está ali. Então eu ralo, bato ela no liquidificador, desintegro ela no azeite. O barulho que ela faz na hora que eu mastigo ou a textura lisa dela dentro da boca ainda me aterrorizam. Mas vamos lá.

Author: Bruna Aureliano

Designer e criadora de conteúdo sobre estilo de vida consciente. Acredita que, para gerar transformações, é preciso compartilhar conhecimento. Vegetariana, adepta do minimalismo e canceriana com ascendente em aquário. Metade dela é sensibilidade e a outra é rebeldia.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.